Escolha uma Página

empréstimo para endividados

O empréstimo para endividados tem tido uma grande procura e isso se dá ao número de inadimplentes no Brasil, que tem crescido bastante.

O Serasa divulgou em Abril deste ano que o número de pessoas endividadas no país, em Março, já ultrapassava os 63 milhões. Confira detalhes do histórico de inadimplência e como os beneficiários do empréstimo consignado podem sair do vermelho.

O aumento do índice de inadimplência

A inadimplência é uma situação financeira em que as dívidas estão maiores do que o valor da renda mensal. Infelizmente, essa é uma situação muito comum entre os brasileiros. Isso se dá, em parte, devido ao livre acesso aos cartões de crédito e empréstimos pessoais. Ou seja, as pessoas acabam usando esses recursos de forma indiscriminada e acabam perdendo o controle.

De acordo com o Serasa, os principais motivos para a inadimplência no Brasil são dívidas com cartões de crédito e financiamentos, além do desemprego. Em 2016, quando foram levantados os primeiros dados estatísticos sobre a inadimplência no país, feito pelo Serasa, havia cerca de 59,3 milhões de pessoas nesta situação.

Já nos anos consecutivos, até 2018, foram acrescidos aproximadamente 1 milhão de pessoas inadimplentes a cada ano. Contudo, em 2019, apenas nos 3 primeiros meses já foram constatados mais de 63 milhões de endividados.

 

Estou inadimplente, o que devo fazer?

Muitas pessoas não se sentem confortáveis em expor a situação financeira quando estão no vermelho. Mas, esse é um cenário muito comum no país como visto acima. Para sair do vermelho, primeiramente, é preciso começar a reduzir gastos e praticar a economia. Todavia, essa atitude demora um tempo até aparecerem os resultados e você conseguir sanar sua dívidas.

Para isso, é recomendado calcular o montante da dívida e encontrar a melhor forma de saná-la, sem piorar a situação. Para fazer isso, é importante colocar na balança três aspectos importantes: valores disponibilizados, taxa de juros cobrada, valor da parcela a ser paga.

 

Quais as melhores opções?

Para quitar dívidas a solução mais procurada são os empréstimos. Para escolher a melhor opção de crédito, o solicitante precisa avaliar as condições oferecidas e a disponibilidade de cada banco. Para isso, vamos explicar melhor sobre as três principais formas de solicitação de empréstimo para endividados: o cheque especial, crédito pessoal, crédito consignado:

 

Crédito consignado

O crédito consignado é concedido para aposentados e pensionistas do INSS e servidores públicos. É uma modalidade na qual as condições são regulamentadas pelos órgãos públicos. Isso faz com que o solicitante não se submeta a requisitos abusivos. As taxas do empréstimo consignado estão em torno dos 2,10% ao mês. Os prazos para pagamento do crédito são de até 96 vezes para servidores públicos e 72 vezes para aposentados e pensionistas do INSS.

Com o consignado, o solicitante pode fazer o pagamento de empréstimo com até 30% salário, que é a margem consignável. Também é possível solicitar até 9 linhas de crédito diferentes, se precisar, desde que a soma das parcelas dos créditos não ultrapasse a margem de 30%.

Essa modalidade não exige análise de crédito e nem consulta o score. Além do mais, o solicitante não precisa ter convênio nenhum com o banco para solicitar o crédito. Essas regulamentações fazem com que as instituições financeiras ofereçam cada vez mais condições atrativas paras os beneficiários gerando competitividade no mercado.

 

Crédito Pessoal

O crédito pessoal é o mais procurado, pois é uma modalidade de empréstimo que não limita público. Todavia, realiza análise de crédito junto aos órgãos de proteção como SPC/ Serasa, além verificar a pontuação no scores. Por esse motivo, pessoas que procuram esse tipo de empréstimo para quitar suas dívidas e limpar seu nome muitas vezes não conseguem ter acesso a esse tipo de crédito. Se caso for concedido crédito pessoal para negativados, as taxas de juros serão muito altas.

Os juros cobrados nos empréstimos pessoais chegam a mais de 20% a.m. Tendo em vista os prazos de pagamento que podem ser de até 36 meses dependendo da análise feita com o banco, as parcelas ficam com valores muito altos e isso resulta muitas vezes no superendividamento do solicitante.

 

Cheque especial

O cheque especial é uma modalidade de crédito disponível para pessoas que possuem conta corrente. Se trata de um valor predeterminado e pré-liberado pelo banco, de acordo com o relacionamento do correntista com a instituição. A pessoa escolher ter ou não esse benefício. Assim, quando ela precisar de um valor maior do que o contido na conta, é possível utilizá-lo dentro do limite. No próximo valor que for transferido ou depositado na conta será debitado o dinheiro gasto do cheque especial.

As taxas de juros começam a ser cobradas a partir de um período determinado pela instituição financeira. Para que não seja descontado o valor total solicitado, o cliente pode solicitar o parcelamento do valor. Assim, o desconto será feito parcialmente na data escolhida. As taxas de juros variam de 12% ao mês a 15% ao mês entre os principais bancos.

 

O melhor para você

Cada pessoa deve escolher a melhor modalidade de crédito que seja a que atenda às suas necessidades e esteja dentro das suas condições. Para isso, é necessário pesquisar e ter conhecimento sobre os tipos de crédito e as condições de cada banco para que quitar suas dívidas com tranquilidade.

O mais importante é que, ao final do pagamento do crédito, o solicitante saiba controlar a vida financeira para que uma nova inadimplência não ocorra.


Quero saber mais!

Agora que você já conhece os tipos de empréstimos para endividados, Conheça o cartão consignado, que também é disponível para quem está negativado!